Minha Área

Que tal criar abelhas no apê?

7 de Maio de 2015

Publicado em Meu bolso por Minha Área | Nenhum comentário

A meliponicultura, a criação desses insetos sem ferrão, torna possível este tipo de atividade, mas é preciso muita pesquisa

Provavelmente, para a maior parte das pessoas, criar abelhas é algo a ser feito em meio à natureza, num sítio ou numa fazenda. Mas e se alguém resolvesse realizar a atividade em um apartamento, em pleno cenário urbano?Pode parecer inusitado, mas isto acontece, e só é possível porque existem abelhas sem ferrão, as chamadas melíponas.

A criação de abelhas em espaços urbanos pode ser vista primeiramente através da sustentabilidade. Cerca de 90% das plantas com flores são polinizadas pelas abelhas sem ferrão, e não é difícil imaginar que, nos meios urbanos especialmente, isso esteja se tornando cada vez mais complicado.

Outra perspectiva é a geração de receita ou a própria economia feita quando alguém conta com a produção de mel dentro de casa e não precisa comprar o produto. Um quilo de mel em um supermercado chega a custar por volta de R$ 60,00.

O que fazer – A primeira dica para quem gostaria de saber mais é procurar informações e realizar cursos em associações locais de meliponicultores.

Além de explicar os detalhes da criação de abelhas, tais lugares também podem vender as colônias para criação doméstica ou informar quem pode.  A internet é um ótimo canal de busca, pois as variedades de melíponas dependem da região do país.

De forma geral, as abelhas ficam em caixas divididas em três andares, com entrada na primeira, seguida por aquelas onde fica o mel e, logo acima, os discos de cria e o lar da abelha-rainha. Estas caixas devem ficar em um lugar alto para que as formigas não alcancem. Mas será que estas abelhas se comportam bem? O que os vizinhos diriam se você resolvesse investir no negócio?

“Em dez anos de criação nunca tive problemas. As abelhas são animais muito inteligentes e gravam com muita rapidez o local exato onde a caixa é colocada. Não ficam entrando no apartamento dos vizinhos. O comportamento natural das abelhas é procurar a área externa do condomínio em busca de flores. Elas vão até 2 quilômetros de distância. Mas sempre que alguém me perguntou sobre o assunto, eu convidei para conhecer a criação, mostrar o quanto são inofensivas, e logo as pessoas perdem o medo”, conta Kalhil Pereira, um apaixonado pelas abelhas sem ferrão, criador e referência sobre o tema, além de responsável pelo blog Meliponário do Sertão.

Negócio de família – Kalhil conta que o gosto pela criação de abelhas foi herdado do avô materno, mas que, ao longo dos anos, ele passou a pesquisar a fundo sobre o tema, passando a dar cursos e seminários e se tornando referência na área.

“Atualmente não crio tantas abelhas no apartamento como antes, pois moro em Natal e o apartamento atual é muito alto (14º andar). Em apartamentos com mais de três andares não é adequado criar espécies muito pequenas, pois elas não conseguem superar a força dos ventos à medida que o andar vai ficando mais alto. Mesmo assim, mantenho algumas poucas caixas na minha varanda (atualmente tenho três caixas de Jandaíra e duas de uruçu verdadeira)”, conta.

Se você se animou com a ideia e tem uma varanda ou um lugar que poderia dedicar à criação, saiba que, segundo Kalhil, apesar da ausência do ferrão facilitar o negócio e garantir a segurança, é preciso conhecimento sobre a biologia das abelhas para criá-las de maneira adequada.

“São animais completamente independentes, pois produzem seu próprio alimento, o mel e o pólen. Entretanto, em algumas épocas, por exemplo, é preciso oferecer uma alimentação suplementar (água e açúcar).”

E o condomínio? – É importante conferir também se o condomínio possui alguma regra relacionada ao tema ou à criação de animais em geral dentro do apartamento.

Como se trata de uma atividade bastante incomum, especialmente em centros urbanos, vale pesquisar e se informar antes de investir. Uma primeira conversa com o síndico pode ajudar e, quem sabe, até influenciar o próprio condomínio a apoiar a criação em um espaço comum do empreendimento.

Curiosidades

  • O tempo de vida de uma obreira melípona, ou seja, a abelha sem ferrão que trabalha na produção do mel, pode ser de até 100 dias, sendo que o macho pode viver um pouco mais: até 120 dias. Já uma abelha-rainha pode viver até cinco anos
  • As abelhas também se alimentam do mel, por isso é importante dividir corretamente no momento de colher e também oferecer alimentação suplementar em algumas épocas
  • A criação de abelhas sem ferrão para uso em agricultura (por conta da polinização) tem sido algo emergente em vários lugares do mundo. Um deles é a Austrália

 


Tags: , ,

Deixe um comentário

Tem de ter a sessão iniciada para publicar um comentário.

Minha Área - 2012 - Todos os direitos reservados.

Hotvia