Minha Área

Para o sono não virar pesadelo

11 de Setembro de 2013

Publicado em Saúde e bem-estar por Minha Área | Nenhum comentário

Escolha do colchão deve levar em conta peso e altura. Também é bom experimentar e comparar os modelos antes da compra

Dormir menos do que o necessário ou dormir “de mau jeito” como se diz popularmente pode causar muitos danos à saúde. A escolha do colchão adequado pode ajudar a amenizar o problema, evitando que se acorde com dores. Como há muitos modelos no mercado, é importante saber qual o ideal em seu caso.

Muitas pessoas, ao comprarem um colchão, acabam escolhendo apenas pelo preço e pela marca, mas nem sempre o colchão mais caro é o mais adequado, assim como um barato demais pode trazer danos no médio prazo.

Relaxamento muscular

“O colchão ideal deve sustentar todas as partes do corpo de forma confortável durante todo o período de sono, mantendo a postura correta da coluna, conciliando relaxamento muscular, circulação sanguínea e conforto térmico. E o mais importante: deve ser adequado ao biótipo da pessoa”, explica o diretor comercial da loja especializada em colchões F.A. Maringá, Luiz Castro.

O Instituto Nacional de Estudos do Repouso (Iner) oferece uma tabela de biótipos em seu site que leva em conta peso e altura do consumidor, além de dicas para manter o colchão em ordem por muito mais tempo.

Um colchão com densidade baixa (D18), por exemplo, é indicado apenas para bebês e crianças com até três anos, ao passo que uma pessoa com 1,90m de altura e mais de 120 quilos precisará de um colchão bem mais denso (D40).

Nem duro e nem mole

No momento da compra é preciso experimentar. Nesta hora não vale ter vergonha. Os especialistas concordam que é preciso sentar e deitar em diversas posições, comparando os modelos e checando os que oferecem maior conforto.

Também é preciso levar em conta que um colchão ideal não deve ser muito mole, pois apesar da sensação positiva que traz momentaneamente, acaba não sustentando de forma correta os músculos, o que gera problemas após algum tempo de uso.

Já um colchão muito duro também pode causar dores nas costas, sendo importante novamente respeitar o peso de quem vai dormir na hora de escolher a densidade. No caso de casais, deve ser considerado o maior peso.

Sentindo na pele

A dona de casa Lunalva Bracco sentiu na pele a diferença causada pela troca de colchão. “Posso dizer que foi como ir do inferno ao céu. Meu colchão antigo já estava torto e me causava dores, mal estar. Quando troquei passei a dormir muito melhor e acordar mais disposta. Antes acordava cansada”, conta.

Também é importante verificar se o colchão tem a certificação compulsória para colchões e colchonetes de espuma do Inmetro, que passou a vigorar em 2011.

Esta certificação visa garantir que o consumidor final adquira produtos dentro dos padrões técnicos estabelecidos pelas Normas Técnicas Brasileiras e o desenvolvimento constante do setor colchoeiro.

Dicas do Iner para o colchão durar mais

  • Não dobre
  • Não derrame líquido sobre ele
  • Não passe roupas sobre o colchão
  • Retire da embalagem plástica e utilize-o sobre um estrado vazado. Não coloque papel, papelão e nem plástico entre o colchão e o estrado
  • Mude a posição constantemente de acordo com as instruções do certificado de garantia
  • Escove, aspire e ventile periodicamente para evitar a proliferação de ácaros e microorganismos

Tags: , , ,

Deixe um comentário

Tem de ter a sessão iniciada para publicar um comentário.

Minha Área - 2012 - Todos os direitos reservados.

Hotvia